domingo, dezembro 10, 2006

M.

Este texto hoje e' dedicado a ti. Nao que exista uma razao especial para que tal aconteca. Sim, fazes anos hoje, mas nao e' essa a razao... Apeteceu-me, apenas! Acho que ha' coisas que devemos dizer quando as sentimos, mesmo que isso nao aconteca com a frequencia que desejariamos, ou mesmo que nao seja facil de as verbalizar.

Aqui ha dias, pediram-me que descrevesse alguem com uma so palavra... uma unica! Como e' possivel condensar alguem numa unica palavra, redutora e plana? Ninguem e' assim tao unidimensional que se consiga reduzir dessa forma. Penso nas pessoas que conheco e tento reduzi-las a um unico adjectivo e nao consigo. Sao todas grandes demais para terem apenas um titulo... E quando penso em ti, ainda se torna mais dificil... assim de repente lembro-me ai' de pelo menos umas 20 palavras que se aplicavam a ti na perfeicao... queres ver algumas?

Forte. Es, de facto, a pessoa mais forte que conheco. E a forca, deixa-me que te diga, nao se mede pela dimensao fisica, mas sim por aquilo que demonstramos que conseguimos enfrentar e ultrapassar. Contigo aprendi que todos os desafios sao transponiveis, por muito que isso nos custe aceitar. Mostraste-me que, por muito que pensemos que nao temos meios para enfrentar as dificuldades, ha sempre forma de irmos buscar aquela energia motora que nos impulsiona para a frente. Sempre me ensinaste que a vida nao e' facil, mas que tambem nao e' por isso que vamos deixar de a viver...

Sensivel. Embora sejas forte, nao es de ferro... longe disso. Quebras em choro ao menor estimulo... (ou muito me engano ou por esta altura os teus olhos ja estao marejados...). Nao que isso seja mau - mostra apenas que nao es indiferente ao que te rodeia, que sentes tanto o bom como o mau, que o expressas sem preconceitos, sem limitacoes, sem pudores. O teu choro (e o teu riso!) definem-te como pessoa, mostram a tua sinceridade, mostram que es genuina, fazem parte do que es.

Lutadora. Foram tantas as dificuldades pelas quais ja passaste e em todas elas nunca baixaste os bracos. Como foi possivel, ja pensaste? Nao que nao tivesses vontade... mas nunca deixaste que elas te vencessem. Sempre te admirei por isso, pela garra com que lancas aos novos desafios, pela maneira como te adaptas ao que a vida te traz e pela forma positiva como a enfrentas.

Amiga. A tua maior virtude. Sempre disposta a ajudar, a ouvir, a aconselhar. E' por ti que procuro quando a vida me desgarra os sentidos e me deixa sem saber o que fazer, quando preciso de orientacao, quando preciso de ajuda. E tu la' estas, sempre!... sempre pronta a acolher-me no teu colo, a estender-me o teu braco, a embalar-me com o teu olhar, sempre pronta a preencher o vazio.

E isso diz tudo, mais do que quaisquer outras palavras que pudesse encontrar para te definir.

Gosto muito de ti, sabias? Beijo Grande!

1 comentário:

mae disse...

que bonito!...e carinhoso... Não chorei, porque o meu coração se encheu de tamanha alegria e ternura que o meu sorriso foi maior »que o marejar das lágrimas»... neste momento a minha mente fervilha de adjectivos para expressar sentimentos mas é apenas um que se reproduz:Amor. Foi com ele que foste criado e será sempre com ele que estarei a teu lado...procura ser sempre a pessoa especial que és: leal, verdadeiro, sensível e amigo. Obrigado por seres meu filho! outras coisas ficarão por dizer-as do passado,algumas do presente,outras do futuro- mas que talvez não sejam necessárias...podem ser traduzidas num meigo olhar,num riso de cumplicidade,numa lágrimade felicidade,num dar de mãos confiantes... beijos