terça-feira, maio 29, 2007

Chicago, lllinois

Fim de semana prolongado a' conta do Memorial Day, oportunidade mais do que unica para uma breve escapadela. Onde ir, o que fazer? A decisao nao demorou muito a ser tomada - nao foi preciso pensar muito. Ha muito que ouvia maravilhas de Chicago, que era uma cidade fantastica, bonita, onde da' gosto passear. Resolvi que seria este o destino destes 3 dias de relax, a apenas 4 horas e meia de distancia (de carro).

O dia de Sabado comecou chocho, com chuva e trovoadas a' mistura. 'Mais uma vez nao acerto com o tempo', pensei. Mas pronto, pode ser que fique melhor - ha sempre essa esperanca. Durante a viagem (que e' um pouco entediante, uma vez que nao tem grandes alteracoes na paisagem) a chuva caiu copiosamente, fazendo com que os meus receios se tornassem cada vez mais uma certeza. Ja resignado com o facto de que seria um fim de semana molhado, dei por mim a fazer planos mentalmente, caso a coisa nao melhorasse. Felizmente nao foi preciso.

Algumas horas mais tarde, depois de ter atravessado 3 estados (Michigan, Indiana e Illinois) la' chego a Chicago. Naturalmente, a primeira coisa em que me tento concentrar e' em encontrar o hotel, que fica bem no meio de downtown. Sigo, como sempre, a' risca as indicacoes do Mapquest, que nunca me deixou ficar mal. So' que, em fim de semana cheio de eventos especiais, a cidade altera-se, fechando ao trafego automovel algumas das suas vias principais. Ora, com as ruas cortadas, escusado sera dizer que as minhas preciosoas indicacoes serviam de muito pouco. Sim, perdi-me! E uma vez perdido, nao me restou outra solucao que improvisar. Ir olhando para o mapa nos sinais vermelhos, tentar perceber para que lado fica o rio (o hotel ficava la mesmo ao pe'), descobrir quais as ruas que eventualmente me colocariam mais perto do destino final. Feitas as contas, andei mais ou menos meia hora as voltas no meio da cidade, ate dar com o raio do hotel, que ainda para mais ficava numa rua de sentido unico.

Feito o check in e depois completamente instalado, comeco entao a minha incursao a pe' pela cidade - guia numa mao e maquina fotografica na outra. Decidi comecar a minha visita pelo Loop, que e' por assim dizer o centro historico de Downtown Chicago. Aqui estao localizados muitos dos arranha ceus da cidade, que albergam nao so instituicoes publicas e governamentais, como tambem instituicoes financeiras, tais como a bolsa de valores ou a 'Board of Trade'. Passear no meio destas ruas torna-se uma aventura, especialmente porque temos que espetar o nariz para cima e deitar a cabeca para tras para conseguirmos ver o topo de tao grandes estruturas - que se afirmam imponentes, a dominar a paisagem.





Espalhadas um pouco pelo Loop estao algumas obras de arte, doadas a' cidade por artistas tao consagrados como Miro', Picasso ou Chagal. Esta 'street art' confere a esta zona um ar cultural e moderno, quebrando a paisagem com o seu ar original, criando autenticos recantos de contemplacao e refugio, no meio do rebulico de uma zona fervilhante. Alguns exemplos:


Picasso


Miro

Chagal

E' tambem aqui que encontramos o edificio mais alto da cidade e do pais - a Sears Tower - construido inicialmente para albergar a sede desta famosa empresa. Hoje, apos ter sido vendido pela Sears, e' usado como 'Office Building', tendo no seu topo (103 andar) um observatorio (Skydeck), que nos presenteia com vistas soberbas da cidade e de tudo o que a rodeia. Devido ao mau tempo, achei que nao era uma boa aposta subir ate la acima... resolvi deixar para o dia seguinte.



Famoso tambem no loop e' o 'El', ou simplesmente 'L', abreviatura para 'elevated', o nome do comboio elevado que serpenteia pelo meio das avenidas e edificios. Para quem e' fa (como eu) da serie ER, sabe concerteza do que eu estou a falar. Esta rede de comboio e' uma especie de metro que ao inves de andar por baixo anda por cima das ruas - assente em estruturas metalicas apoiadas no asfalto em baixo - e constitui um dos principais meios de transporte dos locais. As estacoes e' que se apresentam um bocado decrepitas, o que ate' tem um efeito interessante...

A chuva entretanto nao parava de cair, fraca mas constante. Aqui e ali uns relampagos rasgavam os ceus, ao inicio da noite. Como a viagem tinha sido longa, o cansaco ja se fazia notar. A juntar a' festa, a roupa comecava a ficar mais molhada do que o recomendado. Condicoes optimas para justificar um jantar no Hard Rock Cafe, fazer as compras da praxe e regressar ao hotel.

Inevitavelmente, acabei o dia a pensar que a primeira sensacao que se tem desta cidade e' tao somente esta - 'Uau!'. A arquitectura, os arranha-ceus, as ruas muito vivas e cheias de gente (mesmo a chover), a imponencia e a grandiosidade de uma cidade plantada a' beira do lago, fazem de Chicago uma cidade de que se gosta logo ao primeiro olhar. E se o primeiro dia ja tinha valido a pena, o segundo foi ainda melhor...

1 comentário:

mae disse...

com diria a outra: "tudo para destruir"... mas pronto é bonito!
e enquanto isso vamos apreciar. PELA DESCRIÇÃO FISICA e escrita gostaste mesmo da cidade....
Sê feliz!....