sábado, Maio 05, 2007

O Corpo Humano - por dentro, por fora e as postas...

Desde ha muito que sou fa do corpo humano. Da sua complexidade, da sua fragilidade, da maneira como tudo esta arranjadinho por forma a funcionar matematicamente de forma primoral. Considerei inclusive a hipotese de enveredar por uma carreira nessa area, mas depressa me convenci que nao teria grande estofo para a coisa. Por isso, agora limito-me a ver com grande assiduidade tudo o que seja serie relacionada com a area medica - ER, House, Grey's Anatomy, venham eles, vejo tudo.

Ora, estando em Detroit a exposicao 'Our Body: The Universe Within', e' claro que nao podia perder esta oportunidade de ver mais de perto uma data de corpos, por dentro e por fora. 'Por dentro'?, perguntam voces. Sim. Ora vejam:


A exposicao, patente no Detroit Science Center, mostra-nos realmente como e' constituido o corpo humano, por dentro e por fora, fazendo uso de 20 corpos reais (nao sao modelos de plastico, sao pessoas mesmo - cadaveres), dissecados e esventrados. Desta forma original, podemos localizar todos os membros do nosso corpo, sejam eles ossos, musculos, tendoes, orgaos principais ou acessorios. Os corpos foram preparados atraves de um processo especial que retira toda a gordura do corpo, substituindo-a por um composto plastico, fazendo com que os corpos nao cheirem mal e possam ser expostos, cortados e retalhados como se bem pretenda. So' ha uma regra a cumprir - Please don't touch the dead people - dizem-nos no inicio da exposicao. O que e' algo complicado, porque os corpos nao estao vedados, e podemo-nos aproximar deles tanto quanto queiramos, e as vezes apetece mesmo la mexer, numa de 'Eh pa deixa ca ver como e' que isto esta interligado'!

A exposicao em si gerou uma certa polemica nos paises por onde tem passado e aqui tambem nao foi excepcao. A versao original diz-nos que os corpos, de cidadaos chineses, foram 'doados' a' ciencia para este efeito. A contra-versao diz-nos que os corpos sao de prisioneiros chineses, que depois de terem sido mortos na prisao, foram como que 'aproveitados' para este fim. Nao sei. Creio que prefiro nao pensar nisso. Sei sim e' que me fartei de aprender coisas giras enquanto por la andei - ate' descobri finalmente o que e' o 'Externocleidomastoideu' a que Vasco Santana se referia no filme 'A Cancao de Lisboa'.

Nao faco ideia se isto passara' algum dia por Lisboa, mas se passar, nao percam. E' como voltar a' escola!

1 comentário:

Anónimo disse...

ja lá está!